Olá…Criei coragem e fiz um Blog pra contar esta minha história.

Ser estudante em um país onde o analfabetismo ainda é gigante é muito difícil, pior ainda é ser pobre e estudante…para esses casos existe a bolsa de estudos…obaaaaaaaaaaaaa!!!

Memórias de um bolsista

Stênio Barretto e suas memórias de um bolsista

O PROUNI* quando eu realizei o exame (2005) era uma aposta. Muitos não acreditavam no programa e talvez isso possa ter me ajudado bastante na concorrência. Sem falsa modéstia, nem precisei muito. A média nacional foi 45% (se não me engano) e mesmo cinco anos após terminar o segundo grau consegui uma média bem acima. Ainda guardo os resultados: 72,8%…nada mal pra quem estava enferrujado…

Após a aprovação existe aquela grande dúvida: ter que escolher cinco instituições (acho que ainda é assim) e o curso ou cursos que deseja fazer. Não fiz como a maioria. Já que tinha um “bilhete da Mega Sena” na mão fiz o que muitos não fazem: fui visitar as faculdades. Das que gostei não tive dúvidas: escolhi o mesmo curso para todas – DIREITO…sonho de menino.

Semanas depois o resultado. Com a convicção de que queria ir para aquela instituição a coloquei apenas uma vez e em primeiro lugar. Era a Faculdade de Direito Promove de Belo Horizonte – MG. Pelos resultados que apareciam no sistema eu só não conseguiria ir para uma das cinco, segundo minha média. Isso me deu coragem…

O PROUNI é muito bom, tenha certeza. Os bolsistas como eu eram dedicados e tinham as melhores notas da faculdade. Seu pagamento de mensalidade não atrasa, ninguém te cobra, não chega boleto nem “a pau” e no quinto dia último do mês, quando vencem as mensalidades da maioria da faculdade você dá aquele “ufaaaaaaaa” aliviado.

Mas nem tudo são maravilhas e é isso que quero contar… Bem vindo ao “Diário de um bolsista!!!”

__________________________________________________________________________________________

* PROUNI, pra quem não sabe, é a sigla utilizada para definir o Programa Universidade para Todos do Governo Federal brasileiro e implantado pelo atual governo.  É regulado pela Lei 11.096 de 2005 e em média 3.000.000 (três milhões) de pessoas concorrem às suas bolsas. É destinado não apenas a negros, índios e minorias, mas também aos cidadãos de baixa renda e de todas as idades que não puderam cursar universidade por falta de recursos. Sua inscrição é barata e com isenção para a maioria dos candidatos.

Esse Blog não possui fins político-partidários.

Anúncios